Instituto do Porto

IFTP – Missão, Principais Actividades e História

Instituto de Formação e Terapêutica Psicanalítica do Porto é um órgão da Sociedade Portuguesa de Psicanálise que tem por finalidade investigar e desenvolver a ciência psicanalítica e as suas práticas, bem como a sua integração e o estabelecimento de relações com os outros ramos do conhecimento. Promove a formação e a qualificação de profissionais para o exercício da atividade psicanalítica e proporciona tratamentos psicanalíticos à comunidade, a preços reduzidos.

Depois de Albano Moreira da Silva ter introduzido o exercício da prática psicanalítica na cidade do Porto, as atividades mais estruturadas de divulgação e formação ligadas à Psicanálise, nesta cidade, tiveram lugar no início da década de 1970, através das iniciativas de Jaime Milheiro, então Membro Associado da Sociedade Portuguesa de Psicanálise. Por esta altura foram promovidas visitas de psicanalistas credenciados ao Porto, onde, sob a forma de encontros clínicos, seminários ou colóquios, Francisco Alvim, João dos Santos, Eduardo Cortesão, Pedro Luzes, José Flores, Coimbra de Matos, Pierre Luquet e outros, alongaram caminhos e perspetivas.

Em 1980, surgiu o “Grupo de Estudos Psicanalíticos do Porto e de Coimbra”, mais tarde apelidado “Grupo do Norte”, formado por Jaime Milheiro, Carlos Amaral Dias, Eurico Figueiredo e Celeste Malpique, que constituiria a base de criação do futuro IFTP.

De 1982 a 1988 esse grupo organizou quatro “Encontros de Psicanálise do Norte” subordinados aos temas “Identificação e Identidade”, “A Histeria a partir de Dora”, “Obsessão, Sintoma e Culpabilidade” e “Depressão, Depressões”.

Por essa altura o processo de formação em Psicanálise estava centralizado em Lisboa, o que não impedia que no Norte se avançassem atividades de carácter clínico e científico, dentro dum espírito ativo que a divulgava nos mais variados contextos. A sucessiva passagem a Membros Didatas da SPP dos elementos do grupo foi, pouco a pouco, possibilitando a formação nesta região.

Em 1997, os sócios da SPP da cidade (titulares, associados e candidatos), em reunião formal, elegeram uma “Comissão Organizadora do Instituto de Psicanálise do Porto”, composta por Jaime Milheiro, Celeste Malpique, Fátima Cabral, José Ferronha e Rui Coelho, que foram mandatados para obter os requisitos administrativos, científicos, de espaço físico e outros, necessários à sua instalação e funcionamento.

O Instituto de Formação e Terapêutica Psicanalítica do Porto foi formalmente aberto em 1999, destinando-se, conforme os seus Estatutos, “à promoção da formação e terapêutica da Psicanálise”, e “estendendo a sua ação a toda a região Norte do País”.

A sua inauguração decorreu em 25-09-1999, com o Colóquio “Situação Actual da Psicanálise”.

Desde então, o IFTP tem registado um aumento progressivo no número de sócios e de formandos, bem como de atividades clínicas, formativas e científicas. Marca a sua prática pela regular organização de Conferências e de Seminários, assim como de Simpósios destinados a um público interessado.

A par do projeto institucional, a Psicanálise no Porto tem-se fortemente ligado a atividades de cariz cultural, sendo uma expressão clara desse desígnio a organização dos “Colóquios do Porto – Psicanálise e Cultura”, já com forte tradição, que têm contado com a participação de figuras cimeiras da cultura portuguesa, num desenvolvimento transversal de saberes e perspetivas.

A presença significativa de Psicanalistas do IFTP em instituições públicas e privadas, assistenciais e académicas, muito tem contribuído para a solidificação, expansão e integração da Psicanálise na região.

Destacam-se, na prática assistencial e académica, Jaime Milheiro, Celeste Malpique, Eurico Figueiredo, Fátima Cabral, Rui Coelho, Manuela Fleming, Cristina Fabião, Carlos Farate, José Ferronha, Alice Lopes, Jorge Bouça, Teresa Campos e outros.

Formação

O IFTP garante a formação e a qualificação de profissionais para o exercício da atividade psicanalítica, de acordo com os princípios preconizados pela Comissão de Ensino da SPP. A rigorosa seleção destes profissionais, com experiência clínica e formação académica, preferencialmente, em Psiquiatria ou Psicologia, pressupõe uma Psicanálise pessoal como primeiro elemento formativo. A formação posterior (quatro anos teórico-clínicos e, pelo menos, duas psicanálises sob supervisão) e a avaliação dos candidatos assegura-se por Membros da Sociedade Portuguesa de Psicanálise e continua-se através de Simpósios, Colóquios, Congressos e grupos de trabalho e de investigação, em articulação com Sociedades pertencentes à IPA (Associação Psicanalítica Internacional).

Corpos Sociais

QUADRIÉNO 2019-2022

ASSEMBLEIA GERAL

Presidente – Jorge Bouça
1ª Secretária – Cláudia Mota Coelho
2ª Secretária – Sofia Vilar Soares

DIRECÇÃO

Presidente – Orlando Von Doellinger
Vice-presidente – Rui Coelho
Secretária Científica – Paula Valente
Tesoureiro – Hélder Lourenço

Vogal – Cláudia Cunha Gomes
Vogal – João Teixeira
Vogal – Rui Guimarães

CONSELHO FISCAL

Presidente – Ivone Castro Vale
1º Vogal – Sara Mariano
2º Vogal – Jorge Aguiar

Contactos

Morada
Instituto de Formação e Terapêutica Psicanalítica do Porto
Av. de França, 256 – 2º – Sala 2.5, Edifício Capitólio, 4050-276 Porto
Email: iftp.porto@gmail.com
Telefone: (+351) 226 067 511