Publicado em

O Ser é a essência do Tempo

A certeza da morte
Dá projeto e sentido à vida,
À passagem do tempo

Em cada momento, em cada idade,
No conteúdo que preenche
O espaço envolvente
Tem sentido seguir em frente.
O SER é a essência do TEMPO!
Sentir‐se leve, gozar o momento
É sentir‐se eterno, cantar a liberdade,
Vislumbrar o infinito.
Sentir‐se pesado, sofrer o momento,
É ficar triste, o tempo lento
O espaço confinado,
Focado no corpo parado, ameaçado, inerte.
Deixar‐se morrer e levar consigo o tempo!

É o fim do Tempo? Não
O Tempo cronológico continua
Indefinidamente a passar
Por isso o relógio para o limitar.
O SER tem de parar
Para brincar, para meditar,
Para amar!
Não pode ficar a ver o tempo a passar.
O tempo é viagem, o ser a paisagem.
O SER é a essência do TEMPO!

Imagem: Salvador Dali, “A Persistência da Memória” (1931)