A carregar Eventos

« Todos os Eventos

  • Este evento já decorreu.

IX Encontro “Édipo em Alexandria – Conversas na biblioteca da Sociedade Portuguesa de Psicanálise” – 13 de Abril 2018

13 de Abril @ 21:00 - 23:30

                                                            Édipo em Alexandria

Conversas na biblioteca da Sociedade Portuguesa de Psicanálise

Nono encontro: 13 de Abril, 6ª feira, 21 horas

Obra: Confusão de Línguas entre os Adultos e a Criança – A linguagem da ternura e da paixão, de Sándor Ferenczi (1933)

Apresentado pela primeira vez em 1932 no 12º Congresso Internacional de Psicanálise, em Wiesbaden, na Alemanha, este artigo verdadeiramente inovador, quer do ponto de vista da teoria como da técnica psicanalíticas, vem propor revisões e endereçar questionamentos, tanto às concetualizações dominantes como à própria prática da psicanálise, lançando as bases da atual tendência intersubjetivista na psicanálise contemporânea. Em “Confusão de Línguas” – texto cujas ideias principais encontramos em estado nascente no seu Diário Clínico do mesmo ano –, Ferenczi reformula a teoria do trauma e da clivagem através da descrição do mecanismo de introjeção do agressor, reconhecendo a realidade traumática do abuso sofrido pela criança que protagoniza a linguagem da ternura e da procura de proteção, no encontro com a linguagem da paixão agida por adultos sedutores, buscando satisfação sexual e exercício de poder. Esta realidade – que não será, na maior parte dos casos, estritamente fantasmática – gera, na vítima, culpabilidade, confusão e perda de confiança na própria perceção, constrangendo à mobilização de intensos mecanismos de clivagem e fragmentação, comprometendo o desenvolvimento afetivo normal, dando lugar, amiúde, a uma prematuração pós-traumática patológica. A complexidade e o rigor concetuais presentes nas propostas – e advertências – avançadas por Ferenczi, têm sido crescentemente validadas pela evolução e diversidade do movimento psicanalítico, mas também na realidade sociológica, que dá testemunho da prevalência do abuso e do exercício arbitrário de poder sobre os mais frágeis e dependentes – em contexto familiar ou social, sobretudo, mas também clínico, político e educativo.

 Convidados:

  • Dulce Rocha

Procuradora da República e Presidente Executiva do Instituto de Apoio à Criança. Foi Presidente da Comissão Nacional de Protecção das Crianças e Jovens em Risco. Licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Clássica de Lisboa, exerceu funções como Magistrada do Ministério Público nos Tribunais Judiciais de Setúbal, Almada e Lisboa. Foi uma das fundadoras da Associação Portuguesa de Mulheres Juristas, tendo sido sua Vice-Presidente durante cerca de 20 anos. Foi membro do Conselho Superior do Ministério Público. Integrou o gabinete da Alta Comissária para a Igualdade e a Família, onde coordenou, entre 1996 e 1999, a Comissão Nacional dos Direitos da Criança, que elaborou o II Relatório sobre a aplicação da Convenção dos Direitos da Criança. Durante este período, fez parte da Comissão Nacional de Combate ao Trabalho Infantil e do Conselho Nacional para o Projecto contra a Exploração do Trabalho Infantil. Integrou a delegação de Portugal junto do Comité para a Eliminação de Todas as Discriminações contra as Mulheres, na Organização das Nações Unidas, em Nova Iorque. Exerceu funções no Tribunal de Família e Menores de Lisboa. Integrou a delegação de Portugal que, junto do Comité dos Direitos da Criança, discutiu o Relatório sobre a Convenção dos Direitos da Criança, na Organização das Nações Unidas, em Genebra.

Em 2002, a Assembleia da República atribuiu-lhe a medalha de ouro dos Direitos Humanos.

Em 2003, foi nomeada pelo Procurador-Geral da República para integrar um grupo de trabalho a nível europeu que elaborou um relatório sobre a exploração e o abuso sexual de crianças.

No mesmo ano foi condecorada pelo Presidente da República com o grau de Grande Oficial da Ordem de Mérito.

  • Rui Aragão Oliveira

Presidente da Sociedade Portuguesa de Psicanálise. Membro da Associação Internacional de Psicanálise, da Federação Europeia de Psicanálise e da International Sándor Ferenczi Network, é psicanalista titular com funções didáticas na Sociedade Portuguesa de Psicanálise. Licenciado em Psicologia, Mestre em Psicologia Clínica do Desenvolvimento e Doutorado em Psicologia Clínica pela Faculdade de Psicologia da Universidade de Coimbra, exerceu a atividade de docência universitária no ensino público (Universidade de Évora) e privado (Instituto Superior de Psicologia Aplicada). Pertenceu à Unidade de Investigação em Psicologia e Saúde (FCT)/ISPA. Dirigiu a Revista Portuguesa de Psicanálise. Foi membro inicial do Editorial Board Psychoanalysis.Today e pertence ao Comité de Assessores do Livro Anual de Psicanálise/Internacional Journal of Psychoanalysis e da Revista IDE, da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo. É autor de um vasto número de conferências e de artigos, publicados em livros e revistas científicas nacionais e internacionais.

 Coordenação:

  • João Mendes Ferreira, SPP.

Édipo em Alexandria – Alexandria, a cidade da mítica biblioteca da Antiguidade Clássica, não figura no itinerário da trágica personagem tão cara à psicanálise: o Édipo de Sófocles, reclamado por Freud como representante simbólico maior da nossa condição humana.

Desde os seus primórdios, a Psicanálise está ligada aos livros e à Cultura e o pensamento psicanalítico traduziu-se em inúmeras obras que geram um universo de possibilidades de leitura – tanto dentro como fora do campo analítico.

Com esta iniciativa do Grupo de Outreach, a SPP pretende abrir as portas da nossa biblioteca para serões de conversa em torno de uma obra psicanalítica, num ambiente informal, que se deseja profícuo em elaboração e livre expressão de opiniões e sensibilidades.

Uma breve apresentação da obra, e do seu contexto e relevância histórica, será feita por membros da SPP, com comentários e leituras de um convidado de outra área, num diálogo livre e espontâneo entre todos os participantes.

Seguir-se-á uma ceia volante, a prolongar o convívio.

A participação será feita mediante uma inscrição no valor de 8 €.

A inscrição só poderá ser feita até à véspera do Encontro, com Inês Marques, na  secretaria   da   SPP   ou   para   o   e-mailsppsicanalise2013@gmail.com,   com comprovativo de pagamento.

Pagamento de inscriçãoPoderá efectuar o pagamento por transferência bancária – NIB: 0010 0000 0706 7870 00152.

É desejável fazer a sua inscrição com antecedência dado o número limitado de lugares.

 

O Grupo Outreach da SPP

          Maria Teresa Sá

        Teresa Santos Neves

      João Mendes Ferreira

Detalhes

Data:
13 de Abril
Hora:
21:00 - 23:30
Categoria de Evento:

Local

Sociedade Portuguesa de Psicanálise
Av. da República, 97 - 5º
Lisboa, 1050-190 Portugal
+ Mapa do Google