XXIX Colóquio da Sociedade Portuguesa de Psicanálise – Conferencistas

Espaço (In)finito: Psicanálise e interseção de lugares

15 e 16 de Março de 2019
Faculdade de Psicologia – Universidade de Lisboa

Conferencistas internacionais

Martin Gauthier


Trabalha desde 1984 como pedopsiquiatra na McGill University Health Center (Montreal Children’s Hospital), onde desempenhou cargos clínicos, administrativos e de docente. Foi diretor do Departamento de Psiquiatria, entre 2010 e 2013, e diretor académico do Departamento de Pedopsiquiatria na McGillUniversity, entre 2012 e 2013. É psicanalista desde 1987, altura a partir da qual passou a ser formador e supervisor. Foi eleito psicanalista didacta em 2004. Foi Presidente da Sociedade Psicanalítica de Montreal, entre 2001 e 2005, e Presidente da Sociedade Psicanalítica Canadiana, entre 2007 e 2009. Foi diretor do Instituto de Psicanálise de Montreal, de 2009 a 2013. Tem publicações em inglês e francês, tendo ainda feito parte da equipa editorial de algumas publicações. Desde 2015 que é o representante da América do Norte na IPA e lidera atualmente o modelo Eitingon.

Stefano Bolognini


Psicanalista italiano, nascido em 1949 em Bolonha, Itália, onde vive e trabalha. Médico e Psiquiatra, Bolognini é psicanalista didata na Sociedade Italiana de Psicanálise (SIP), onde desempenhou funções como secretário científico de 1997 a 2001 e presidente de 2009 a 2013. Foi membro da redacção editorial do International Journal of Psychoanalysis de 2002 to 2012 e membro do Theoretical Working Party da federação Europeia de Psicanálise. Fundador e presidente da IPA Inter-Regional Encyclopedic Dictionary of Psychoanalysis. Foi presidente da IPA de 2010 a 2017 e o primeiro psicanalista italiano a ser eleito para esta posição. É Autor de várias publicações de artigos e livros sobre psicanálise- Psychoanalytic Empathy, Secret Passages – the theory and technique of interpsychic relations and Like Wind, Like Wave. Escreve com assiduidade para jornais diários em itália e recebeu o prémio Gradiva pelo seu livro Like Wind, Like Wave.

Sociedade Portuguesa de Psicanálise

Ana Catarina Duarte Silva


Psicóloga Clínica, Psicanalista, Psicoterapeuta, Mestre em Psicopatologia e Psicologia Clínica. Membro Associada da Sociedade Portuguesa de Psicanálise e da International Psychonalytical Association (IPA). Formadora no Instituto Português de Psicanálise e membro da Direcção do Instituto de Psicanálise.
Tem publicações e intervenções diversificadas no domínio da psicologia, da psicanálise e da cultura.

Conceição Tavares de Almeida


Psicóloga Clínica, Psicanalista.Especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e especialidade avançada de Psicoterapia.Membro Titular Didata da Sociedade Portuguesa de Psicanálise (SPP) e da International Psychoanalytic Association (IPA).
Vice-presidente da atual direçãodesde 2016; Formadora de candidatos no Instituto de Psicanálise. Assessora para a Infância e Adolescência do Programa Nacional para a Saúde Mental (PNSM) da Direção-Geral de Saúde (DGS); Experiência profissional institucional nas Toxicodependências e nos Cuidados de Saúde Primários. Formadora, supervisora e autora publicada, nacional e internacional, nos temas: Psicanálise, Desenvolvimento, Psicopatologia, Gravidez e 1ª Infância, Luto, Parentalidade, Adolescência e Comportamentos de Risco, Autonomia e Acolhimento Residencial, Comportamentos Aditivos, Comunicação, Psicoterapias e Relação de Ajuda. Consultora e formadora no “Jardim da Fantasia” desde 2005.Experiência na docência universitária em Psicologia Clínica, Criminal e do Comportamento Desviante (1998/2002). Orientou estágios académicos e profissionais nas áreas correspondentes.

Celeste Malpique


Psiquiatra. Psicanalista. Membro titular com funções didácticas da Sociedade Portuguesa de Psicanálise (SPP) e da Associação Internacional de Psicanálise(IPA).

Cristina Fabião


Psiquiatra, psicanalista e psicodramatista. É Membro Titular com funções didácticas da Sociedade Portuguesa de Psicanálise e da Sociedade Portuguesa de Psicodrama Psicanalítico de Grupo, integrando a Comissão de Ensino destas duas sociedades. É membro da Comissão Científica da Revista Portuguesa de Psicanálise.
Tem publicado artigos em revistas nacionais internacionais. É autora do livro “Narcisismo, defesas primitivas e separação”, editado em 2007. Doutorada em Ciências Médicas, pela Universidade do Porto, tendo lecionado durante 11 anos no Curso de Psicologia da Universidade Católica (Braga). Integra a direcção da Sociedade Portuguesa de Psicodrama Psicanalítico de Grupo. Membro da direcção da Sociedade Portuguesa de Psicanálise (2015-2018). Presidente da direcção do Instituto de Formação e Terapêutica Psicanalítica do Porto em dois mandatos (2015-2018 e 2008). Vice-presidente na Zona Norte da Sociedade Portuguesa de Psicossomática, entre 1999 e 2004.

Emílio Eduardo Guerra Salgueiro


É médico psiquiatra de crianças, adolescentes e adultos (Ordem dos Médicos, Lisboa), considerando-se muito influenciado pelo exemplo e pelo saber do Dr. João dos Santos. É psicanalista de crianças, adolescentes e adultos, e membro titular e didacta da Sociedade Portuguesa de Psicanálise e da International Psychoanalytical Association.

Henriqueta Maria Ramalhinho Ginja da Costa Martins


Psicóloga. Doutorada em Psicologia Clínica, Especialidade de Psicanálise pelo Instituto Superior de Psicologia Aplicada. Psicanalista, Membro Aderente da Sociedade Portuguesa de Psicanálise (SPP) e Membro da International Psychoanalytical Association (IPA), desde 2008. Membro efectivo no Serviço de Saúde de Psiquiatria da Infância e Adolescência da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, desde 1992. Coordenadora e Psicóloga responsável pelo projeto psico-pedagógico e preventivo da Creche “Casa do Bebé”, da Associação Crecer e Formar de Lisboa, desde 2015. Coordenadora dos Cursos de Formação Externa da Sociedade Portuguesa de Psicanálise. Actividade docente no Instituto de Psicanálise da SPP e na Universidade Católica de Lisboa. Autora e co-autora de diversos artigos em revistas científicas, nos domínios de psicanálise, psicossomática, cronobiologia e medicina da dor.

João Seabra Diniz


João Seabra Diniz é Psicanalista da Sociedade Portuguesa de Psicanálise e Membro da Associação Psicanalítica Internacional. Tem também a qualificação de Psicanalista de Crianças e de Adolescentes. Foi Membro da Comissão Nacional para o Ano Internacional da Criança (1979), Coordenador Nacional do Projecto de Apoio à Família e à Criança e Membro do Conselho Nacional da Família. Ocupou vários cargos na Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, com uma singular dedicação à área materno-infantil, às crianças privadas de meio familiar normal e à problemática das Adopções. Tem tido colaboração em revistas várias e outros meios de comunicação social. É autor do livro “Este Meu Filho Que Eu Não Tive – A Adopção e os seus Problemas”. Presentemente, dedica-se à clínica psicanalítica privada e ao trabalho na Sociedade Portuguesa de Psicanálise de que foi Presidente da Direcção. Foi também Presidente da Direção do Instituto de Psicanálise.

Luísa Branco Vicente


Psiquiatra. Pedopsiquiatra. Psicodramatista. Psicanalista. Especialista em psiquiatria e pedopsiquiatria. Doutorada em psiquiatria e saúde mental. Presidente da Comissão de Ensino e ética da Sociedade Portuguesa de Psicodrama de Grupo. Psicanalista didacta e membro da Comissão de Ensino da Sociedade Portuguesa de Psicanálise. Presidente do Encontro anual da Sociedade Portuguesa de Psicossomática. Investigadora e coordenadora nas áreas da medicina e Saúde mental em projectos de investigação.

Manuela Fleming


Doutorada em Ciências Biomédicas, especialidade de Psicologia Médica. É Professora Catedrática de Psicologia no Instituto de Ciências Biomédicas (ICBAS), da Universidade do Porto. Aí exerceu funções como docente e como Investigadora. É Psicanalista Didata, membro da Sociedade Portuguesa de Psicanálise (SPP) e membro da International Psychoanalytical Association (IPA). Foi Presidente da SPP, Coordenadora da Revista Portuguesa de Psicanálise e exerce funções de Formadora e de Supervisão no quadro dos Cursos de Formação ministrados pelos Institutos de Psicanálise da SPP. É autora de oito livros de Psicologia e de Psicanálise, de que destaca os livros : «Dor Sem Nome » e « A Psicanalise em Tempo de Mudança» (em co-autoria), editados pela Editora Afrontamento. Étambém autora de dezenas de artigos de Psicanális e publicados em revistas nacionais e internacionais e conferencista em Congressos de Psicanálise nacionais e internacionais. Exerce clínica como Psicanalista e como Psicoterapeuta em consultório privado na cidade do Porto.

Maria do Carmo Sousa Lima


Psicanalista de crianças e adultos. Membro Titular das SPP/FEP/IPA. Licenciatura em Filosofia (Univ. Clássica de Lisboa). Pós-graduação em Psicologia Clínica de Crianças (Univ. Lovaina). Actividade clínica pública e privada, e de formação. Supervisões mensais de casos clínicos de crianças e adultos com Donald Meltzer, com frequência mensal, entre 1991 e 2004. Seminários clínicos em Lisboa, Oxford, Londres (Tavistock-Clinic), Copenhaga, Florença, Paris e Barcelona.Colaboração nos ‘Anglo-European Clinical Seminars’, Wolfson College, Oxford.Publicações de casos de psicanálise de crianças (The Journal of theBritish Association of Psychotherapists; Analytische Kinder-und Jugendlichen-Psycho-Therapie).‘Em que sítio da minha cabeça levo a Maria do Carmo?’ – Da génese e destino da identificação projectiva. (Lisboa: Freud & Companhia, 2017).Três livros de poesia e um em co-autoria sobre Psicanálise e Arte.

Maria Fernanda Gonçalves Alexandre


Psicóloga, Especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde, Psicoterapeuta pela Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP). Psicanalista de adultos, de crianças e de adolescentes, membro titular, com funções didáticas, da Sociedade Portuguesa de Psicanalise (SPP) e membro da International Psychoanalytical Association (IPA), da European Psychoanalytical Federation (EPF) e da Societé Européenne pour la Psychanalyse  de l’Enfant et de l’Adolescent.Tem tido funções docentes no Instituto de Psicanalise, órgão da Sociedade Portuguesa de Psicanalise, assim como em cursos de pós-graduação a nível universitário. Tem feito um número assinalável de Conferencias e Comunicações em vários Congressos e Seminários assim como em diferentes Instituições. Tem publicado diversos artigos em revistas de Psicanalise e de Psicoterapia analítica. Participou, em conjunto com colegas da mesma área, em quatro livros. Da sua autoria publicou dois livros um em 2007 – “Mudanças Psíquicas no Processo Terapêutico – O papel do narcisismo” (Fenda) – e outro -, “ A experiencia Psíquica-Ensaios sobre a construção do processo psicanalítico” (Fenda).Tem exercido vários cargos na Sociedade Portuguesa de Psicanalise (SPP) e actualmente é a Directora da Revista Portuguesa de Psicanalise, órgão da SPP.

Maria José Gonçalves


Psicanalista, é membro didacta da Sociedade Portuguesa de Psicanálise e Presidente da sua Comissão de Ensino. Membro da IPA e da FEP. Médica, pedopsiquiatra, foi Directora do Departamento de Psiquiatria da Infância e da Adolescência do Hospital de D. Estefânia. Criou e dirigiu a sua Unidade da Primeira Infância. Foi Presidente da Associação Portuguesa de Psiquiatria da Infância e da Adolescência. Tem numerosos artigos publicados em revistas de psicanálise e de pedopsiquiatria.

Maria Luís Borges de Castro


Licenciada em Medicina pela Faculdade de Medicina de Lisboa. Psiquiatra da Infância e Adolescência. Chefe de Serviço Hospitalar do Departamento de Pedopsiquiatria do Hospital de Dona Estefânia. Membro Convidada Permanente da Sociedade Psicanalítica de Paris (SPP). Membro Associado da Sociedade Portuguesa de Psicanálise (SPP). Membro da International Psychoanalytical Association (IPA). Ex-Assistente Convidada da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação de Lisboa (FPCE-UCL). Trabalhos publicados nas áreas de Psicanálise, Pedopsiquiatria, Psicossomática e Pedagogia.

Maria Teresa Casanova de Araújo e Sá


Psicóloga Clínica e Psicanalista, Membro Associado e elemento da Direção da Sociedade Portuguesa de Psicanálise (SPP) e Membro efetivo da International Psychoanalytical Association (IPA). Formadora no Instituto de Psicanálise, é responsável pela área de Outreach da SPP. É sócia fundadora e especialista em Psicologia Clínica-Psicoterapia pela Sociedade Portuguesa de Psicologia Clínica (SPPC). Licenciada em Psicologia pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa, Mestre em Psicologia Clínica do Desenvolvimento pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, é Membro Especialista da AGSAS (Groupes Balint Pédagogie-Psychanalyse em França) e animadora de Grupos Balint-Educação. Professora Adjunta especialista na Escola Superior de Educação de Santarém, coordena a área de Psicologia do Desenvolvimento e da Aprendizagem no Departamento de Educação e Currículo.

Maria Tereza Neto P.C.M. Salazar Leite


Psicóloga Clínica. Psicoterapeuta. Psicanalista. Psicanalista com funções didácticas, no âmbito da Psicanálise de futuros Candidatos à Formação de Psicanalistas. Membro Associado da Sociedade Portuguesa de Psicanálise, da International Psychoanalytical Association (IPA) e da Federação Europeia de Psicanálise (FEP). Formadora no Instituto de Psicanálise de Lisboa.Membro do Conselho Fiscal da actual Direcção da Sociedade Portuguesa de Psicanálise.Consultora da Equipe Pluridisciplinar do Centro de Atendimento e Casas Abrigo, Supervisora de Psicoterapia de Mulheres e Jovens e Membro da Direcção em sucessivos mandatos, da Associação de Mulheres Contra a Violência (AMCV – ONG). Representante de Portugal e Vice-Presidente do Comité Científico em diversas Conferências Internacionais promovidas pela International Society for the Prevention of the Child Abuse and Neglect (ISPCAN)

Rita Gameiro


Licenciada em Psicologia Clínica e Mestre em Psicopatologia e Psicologia Clinica pelo ISPA. É psicanalista, membro associado da Sociedade Portuguesa de Psicanálise e da International Psychoanalytical Association. Trabalhou em instituições públicas de saúde mental em regime de ambulatório, internamento e hospital de dia e fez parte da equipa editorial da Revista Portuguesa de Psicanálise. Recentemente tem vindo a apresentar trabalhos clínicos em congressos internacionais: FEP – Turim, IPSO – Lisboa, NMS – Bruxelas, IPA – Tokyo. Trabalha actualmente como psicanalista e psicoterapeuta de adultos, adolescentes e crianças em prática privada, em Lisboa.

Rui Aragão Oliveira


Presidente da Sociedade Portuguesa de Psicanálise. Membro da Associação Internacional de Psicanálise, Psicanalista titular e com funções didáticas na Sociedade Portuguesa de Psicanálise. Doutorado em Psicologia Clínica, exerceu a atividade de docência universitária no ensino Público (Universidade de Évora) e Privado (Instituto Psicologia Aplicada). Dirigiu a Revista Portuguesa de Psicanálise. Foi membro inicial do Editorial Board Psychoanalysis.Today e pertence ao Comité de assessores do Livro Anual de Psicanálise/Internacional Journal of Psychoanalysis e da Revista IDE. Autor de um vasto número de artigos, publicados em Revistas nacionais e internacionais da especialidade.

Teresa Santos Neves


Membro Associado da Sociedade Portuguesa de Psicanálise, da Associação Psicanalítica Internacional e da Federação Europeia de Psicanálise. MA em Estudos Psicanalíticos da Universidade de Kent, Reino Unido. PhD em Psicologia pela Universidade de Kent, Inglaterra.

Vasco Tavares dos Santos


Psicoterapeuta e Psicanalista. Exerce actividade clínica e docente. É Diretor Adjunto da Revista Portuguesa de Psicanálise e formador no Instituto de Psicanálise de Lisboa. É Membro Associado da Sociedade Portuguesa de Psicanálise e da International Psychoanalytical Association. Tem colaboração diversificada nos domínios da reflexão literária e da Psicanálise aplicada. Desenvolve também, desde 1979, uma singular actividade de editor, tendo fundado a editora Fenda e dirigido a revista com o mesmo nome.

Conferencistas Nacionais

Ana Paiva


Professora Catedrática de Eng. Informática, Instituto Superior Técnico, licenciou-se pelo Instituto Superior Técnico e doutorou-se pela Universidade Lancaster no Reino Unido em Ciência da Computação. Foi Professora convidada no Imperial College no Reino Unido, e é investigadora sénior do INESC-ID onde coordena o grupo de investigação em Inteligência Artificial e Agentes Autónomos. Tem leccionado e desenvolvido trabalho de investigação nas áreas de agentes autónomos, sistemas complexos e robótica social. É autora de mais de duas centenas de artigos científicos, e já foi coordenadora de vários projetos de investigação com financiamento nacional e Europeu. Fez parte da “Global Agenda Council” em Inteligência Artificial e Robótica do World Economic Forum e desde 2016 que é membro do Scientific Advisory Board da organização Science Europe.

Anelise Hauschild Mondardo

Anelise Mondardo

Nasceu em 1975 em Porto Alegre/Brasil. Actualmente realiza o Doutoramento em Ciências da Comunicação – especialidade Comunicação e Arte – mais especificadamente em Arte e Psicanálise na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa (Portugal).Desenvolve estudos sobre poéticas negativas na arte contemporânea. É licenciada em Psicologia e mestre em Psicologia Clínica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Brasil). Foi docente universitária durante nove anos e conta com diversas publicações de âmbito cientifico. É psicoterapeuta (Instituto Fernando Pessoa, Brasil), psicanalista (CEPdePA – Centro de Estudos Psicanalíticos de Porto Alegre, Brasil, afiliada a FLAPPSIP – Federação Latino Americana em Psicoterapia Psicanalítica e Psicanálise), supervisora clinica e coordenadora de grupos de estudos.

Carlos Fiolhais


Nascido em 1956, é professor de Física da Universidade de Coimbra, ensaísta e divulgador científico.
Doutorou-se em 1982 em Física Teórica na Universidade Goethe em Frankfurt. É um dos cientistas portugueses com mais citações. É autor de 60 livros, entre obras de divulgação, manuais escolares, obras de história, etc. Dirigiu a Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra e dirige o Rómulo – Centro Ciência Viva da Universidade de Coimbra. Recebeu vários prémios e distinções entre os quais os recentes Grande Prémio Ciência Viva de 2017 e Prémio José Mariano Gago da Sociedade Portuguesa de Autores 2018.

Delfim Sardo


Nasceu em Aveiro em 1962. É responsável pela programação de artes visuais da Fundação Caixa Geral de Depósitos – Culturgest. Doutorado em Arte Contemporânea, é Professor do Colégio das Artes e da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra onde coordena o Mestrado em Estudos Curatoriais. Desde 1990 que se dedica à curadoria de arte contemporânea, bem como à ensaística sobre arte. Foi o Comissário Geral da Trienal de Arquitetura de Lisboa 2010, Diretor do Centro de Exposições do Centro Cultural de Belém e consultor da Fundação Calouste Gulbenkian. Foi Presidente da AICA, Associação Internacional de Críticos de Arte, Portugal. Foi fundador e diretor da revista Pangloss. Foi o Comissário da Representação Portuguesa à 48ª Bienal de Veneza e co-Comissário da Representação Portuguesa à Bienal de Veneza de Arquitetura 2010. No campo das publicações destacam-se os livros:LuxuryBound (Electa, Milão, 1999);Helena Almeida, Pés no Chão, Cabeça no Céu (Bial, 2004); Jorge Molder, O Espelho Duplo (Caminho, Lisboa, 2005);Pintura Redux (Fundação de Serralves/Público, 2006);A Visão em Apneia (Babel, 2011);Julião Sarmento: Risco Inerente (Bial, 2015);Fotografia, Modo de Usar (Documenta 2015);O Exercício Experimental da Liberdade (Orfeu Negro, 2018);A Ambiência é uma realidade Material [com Lawrence Weiner], (CAPC, no prelo);É editor de inúmeros catálogos de exposição.Colabora regularmente como ensaísta para publicações sobre arte e arquitetura.

Fernanda Fragateiro


Na sua extensa obra, Fernanda Fragateiro (Montijo, Portugal, 1962) desenvolve um trabalho fortemente apoiadonum interesse por práticas artísticas e arquitectónicas da vanguarda do séc. XX. Um interesse que informa o próprio trabalho e muitas vezes ganha forma através de alterações subtis de paisagens ou objectos existentes, quenaturalmente revelam histórias contidas em si mesmos.Trabalhando sobre uma vasta gama de materiais e referências, a sua obra conserva um estilo claramente definido, resultado de uma estética minimalista no que toca à forma, à cor e à textura da superfície. Ao longo do seu percurso, Fernanda Fragateiro sempre usou a escultura e a instalação como principal meio de expressão, trabalhando sobreespaço nas suas variadas manifestações fenomenológicas, – arquitectónica, escultórica, privada, pública, temporal, socialmente determinada,– seja através de obras de escultura, instalações ou intervenções ao ar livre, como jardins, colaborações em projetos arquitectónicosou obras que se baseiam na participação pública.Fernanda Fragateiro irá expor no Museu Internacional de Escultura Contemporânea de Santo Tirso (Santo Tirso, 2018), GalleriaNazionale d’Arte Moderna e Contemporanea de Roma (Roma, 2018), no MuseumfürGegenwartskunst Siegen (Siegen, 2019). Expôs no Centro Botín (Santander, 2018), Museu de Arte Miguel Urrutia (Bogotá, 2018), Anozero – Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra (Coimbra, 2017), Museu de Arte, Arquitectura e Tecnologia (Lisboa, 2017), na Fundação Eugénio de Almeida (Évora, 2017, 2015), Palm Springs Art Museum (2016), Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa, 2016, 2012, 2004; Paris, 2013; Londres, 2013), CaixaForum (Barcelona, 2016, 2004), Orlando Museum of Art (2015), Palais des Beaux-Arts de Paris (2015), Carpenter Center for the Visual Arts, Harvard University (Cambridge, 2015), Krannert Art Museum (Champaign, 2015), CIFO Art Space (Miami, 2014), Bronx Museum (Nova Iorque, 2014), MitxelenaKulturunea (San Sebastian, 2014), MUAC MuseoUniversitario Arte Contemporáneo (Cidade do México, 2014), Dublin Contemporary (2011), Trienal de Arquitectura de Lisboa (2010) InstitutValencià d’Art Modern (Valencia, 2008); Centro Cultural de Belém (Lisboa, 2007); Centro Galego de Arte Contemporánea (Santiago de Compostela, 2006), Fundação de Serralves (Porto, 2005), Culturgest (Lisboa, 2003).A sua obra está representada em várias colecções públicas e privadas, entre as quais: Coleção António Cachola, Elvas; Coleção de Arte Contemporânea Caixa Geral de Depósitos, Lisboa; Centro Galego de Arte Contemporanea, Santiago de Compostela; Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa; Fundação de Serralves, Porto; Fundação EDP, Lisboa; Fundação Marcelino Botín, Santander; Fundación La Caixa, Barcelona; FundaciónNeme, Bogotá; Harvard ArtMuseums, Cambridge, USA; Museu Coleção Berardo, Lisboa; Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía, Madrid; The Ella Fontanals Cisneros Collection, Miami; Thyssen-BornemiszaArtContemporary (TBA21), Vienna, Austria. Fernanda Fragateiro é representada pela Galeria Elba Benitez, Madride JoséeBienvenueGallery, New York.

Luís Quintais


Nasceu em 1968. Poeta, ensaísta, antropólogo e professor junto da Universidade de Coimbra. Publicou treze livros de poesia: A imprecisa melancolia (1995), Lamento (1999), Umbria (1999), Verso antigo (2001), Angst(2002), Duelo (2004), Canto onde (2006), Mais espesso que a água (2008), Riscava a palavra dor no quadro negro (2010), Depois da música (2013), O vidro (2014), Arrancar penas a um canto de cisne. Poesia 20015-1995 (2015), e A noite imóvel (2017). Foi distinguido com os prémios Aula de Poesia de Barcelona, PEN Clube Português, Prémio Fundação Luís Miguel Nava, Prémio Fundação Inês de Castro, Prémio António Ramos Rosa, e Prémio Associação Portuguesa de Escritores (Teixeira de Pascoaes).

Luís Maria Baptista


Nasceu em 1971. Docente da cadeira de Projeto do curso de Arquitetura da Universidade Lusíada de Lisboa desde 1999. A colaboração profissional com o casal Artur Rosa (arquiteto e escultor) e Helena Almeida (pintora e fotógrafa) permitiu-lhe aprofundar a relação da arquitetura com a arte. O gosto pelas imagens e pelas suas possibilidades narrativas fez com que tenha desenvolvido uma prática diária de escrita fotográfica. Prática essa, na origem do projeto artístico “Os Espacialistas”.

Madalena Folgado


Nasceu em 1980. Mestre em arquitetura pela Universidade Lusíada de Lisboa. Investigadora colaboradora do Centro de Investigação em Território, Arquitetura e Design (CITAD) da mesma Universidade, no Grupo de Investigação em Teoria, História e Pensamento Interdisciplinar Contemporâneo. Autora de vários ensaios, artigos e comunicações desenvolvidos de modo fenomenológico e constelar. Espacialista.

Tiago Pires Marques


Historiador e sociólogo, Investigador FCT no Centro de Estudos Sociais (CES), Universidade de Coimbra desde 2014. Doutorado em História no Instituto Universitário Europeu de Florença, com a dissertação Crime andtheFascistState (Routledge, 2016). Realizou o seu pós-doutoramento entre 2008 e 2013, com o projeto “Ciência, religião e subjetividades”, no Institut d’Histoire et de PhilosophiedesSciences et desTechniques (EcoleNormaleSupérieure – Universidade de Paris 1) e na Universidade Católica Portuguesa, no âmbito do qual coordenou o livro Experiências à deriva. Paixões religiosas e psiquiatria na Europa – Séculos XV a XXI (Cavalo de Ferro, 2013). Actualmente, desenvolve sua pesquisa nas áreas das ciências sociais da saúde mental e das religiões, combinando métodos historiográficos, etnográficos e colaborativos. De entre as suas publicações recentes, destaca-se o livro Legitimidades da Loucura. Sofrimento, luta, criatividade e pertença (Edufba – Editora da Universidade Federal da Bahia, 2018; coord. em colaboração com Mônica Nunes). No CES, é co-coordenador do Colégio de Estudos Globais e do POLICREDOS – Observatório das Religiões na Esfera Pública.