"Eles não sabem, mas estamos a trazer A Peste"
- Sigmund Freud, em 1909, ao desembarcar em Nova Iorque.
Maria José Gonçalves
Armando Leandro: Uma Personalidade Incontornável - Um testemunho

O Juiz-Conselheiro Dr. Armando Leandro deixou a Presidência da Comissão Nacional de Protecção de Crianças e Jovens em Risco, ao fim de décadas de dedicação à defesa dos direitos das crianças, nos diferentes cargos públicos para que foi nomeado e nas dezenas de iniciativas privadas de que participou.

Vasco Santos
Louvor de Anne Dufourmantelle

Aos 21 de Julho Anne Dufourmantelle morreu acidentalmente na praia de Pampelonne, Ramatuelle. Tinha 53 anos. Ela que escreveu Elogio do Risco (2011) morreria ao tentar salvar, em mar encapelado, duas crianças. “Quando há realmente um perigo ao qual é preciso fazer face […], há um forte impulso à abnegação, à superação do eu”. Sem risco a vida não vale a pena ser vivida.

Tomás Miguez
Os museus como espaços terapêuticos

Durante mais de 10 anos, como psicólogo de uma IPSS na área da saúde mental comunitária - Grupo de Acção Comunitária -, participei em visitas guiadas a museus, acompanhando um grupo de adultos com diagnósticos psiquiátricos de psicose. Desde as primeiras visitas senti que estar num museu podia constituir uma experiência terapêutica para os utentes e para mim próprio. 

Inês Ataíde Gomes
A (louca) ousadia de criar

Desde pequena me recordo do misto de fascínio e medo que a loucura exercia em mim, sentimentos partilhados pelos companheiros de brincadeira, num tempo em que a rua era espaço de liberdade, e se brincava sem supervisão. Apesar da distância de segurança mantida essas figuras nunca passavam despercebidas. A salutar curiosidade infantil prevalecia.

João Santana Lopes
No tempo em que se revelavam fotografias

No seu livro Câmara Clara, Roland Barthes* escreveu: «[…] diz-se "revelar uma foto", mas aquilo que a acção química revela é o "irrevelável", uma essência […], aquilo que não pode transformar-se mas apenas repetir-se sob a forma de insistência».

Ana Catarina Duarte Silva
Conferência Professor Dr. Luís Sobrinho

No dia 19 de Outubro na sede da SPP, tivemos o privilégio de assitir a uma conferência apresentada pelo Professor Dr. Luís Sobrinho, com o curioso título  “Depressão atípica como forma não psicótica de pseudogravidez” 

Sociedade Portuguesa de Psicanálise
Centenário do psicanalista português - Francisco Manuel Barreto Alvim (1917-2017)

A Sociedade Portuguesa de Psicanálise tem a satisfação de celebrar, este ano de 2017, o centenário de Francisco Alvim que foi um dos seus fundadores, o seu primeiro Presidente e o primeiro director da Revista Portuguesa de Psicanálise. 

Conceição Tavares de Almeida
In memoriam

Ao descer a arriba que separa a praia do Meco do frondoso pinhal, avistámos um vulto cinzento e arredondado que parecia ter sido abandonado à beira-mar. Inerte e pesado, apenas o bater das ondas o fazia mover-se, de forma desarmoniosa, oferecendo resistência à doce fluidez daquela manhã de outono. 

Cláudia Milheiro
PORQUE DANÇA O CORPO …porque alguns não o sabem…

O corpo pode ser observado como um objeto transdisciplinar de intervenções e conhecimentos, muitas vezes alheios ao próprio sujeito, em que ritmos, músicas e danças se inscrevem numa linguagem única e numa arte de identidade polifacetada de movimentos e sentimentos.

Sandra Oliveira
O olhar catastrófico do Homem

Face a um mundo que nos impõe um leque variado de fenómenos, seja numa escala global ou numa dimensão mais “caseira”, sentimo-nos desafiados a reflectir sobre a natureza da força e processos que estas situações exercem em nós, e no modo como interagimos com este mundo em constante transformação.

Filipe Cardoso Silva
A Peste cai bem

Gostaria antes de mais de dar os parabéns à SPP, e aos colegas particularmente envolvidos nesta iniciativa, pela criação de um blog e fazer votos para que seja tremendamente pestífero. 

Rita Gameiro
Biblioteca Pedro Luzes

Há espaços que naturalmente nos transportam para atmosferas imaginárias. Mas, como pode um espaço pôr-nos em contacto com uma presença humana? Como podem livros falar-nos sobre alguém que não apenas o seu autor, o seu emaranhado silábico ou novelo narrativo? Como pode um ambiente fechado, silencioso, fazer-nos contactar com os movimentos de quem o desenhou, o alimentou, o viveu?

Rui Aragão Oliveira
O Mundo na mão do meu tio Elói

Na década de 80, quando Portugal vivia intensamente um contacto genuíno com a liberdade recentemente conquistada, as fronteiras dissipavam-se e as oportunidades multiplicavam-se. O acesso a informação e ao mercado de sofisticação tecnológica em franca expansão desencadeava um entusiasmo criativo, que evocava uma potencial e renovada esperança revolucionária.

Maria Fernanda Alexandre
Trigésima Conferência Anual da Federação Europeia de Psicanálise (FEP)

A trigésima Conferência Anual da Federação Europeia (FEP) realizou-se, de 6 a 9 de Abril de 2017, em Haia - Holanda. O tema deste evento - inspirado nos diferentes acontecimentos políticos e sociais observados em vários países do mundo - foi, nas três línguas oficias da conferência: “Le propre et l’ étranger”, “The Familiar and the Unfamiliar”, “Das Eigene und das Fremde”.

Ana Teresa Vale
O feminino na pintura da Paula Rego

Começo por dizer que não é fácil para mim escrever sobre a pintura da Paula Rego. A minha experiência quando vejo os seus quadros é poderosa, quase puramente emocional e inconsciente, de tal forma que tenho dificuldade em produzir um discurso verbal sobre isso.

Revista Portuguesa de Psicanálise
Da Liberdade e do Medo - Revista Portuguesa de Psicanálise 37 (1)

A Revista Portuguesa de Psicanálise (RPP) dedica o número 37 (1) a um conjunto de artigos, conferências, comunicações e ensaios que foram apresentados, em Abril de 2016, no XXVII Colóquio da Sociedade Portuguesa de Psicanálise, “Da Liberdade e do Medo”. Nesse espaço de diálogo foram-se tecendo e criando pontes, de forma a encontrar ligações entre as experiências teóricas e clínicas da psicanálise com as diversas áreas da cultura presentes neste evento.