Carregar Eventos

« All Eventos

  • Este evento já decorreu.

VII Édipo em Alexandria – Conversas na biblioteca da Sociedade Portuguesa de Psicanálise

22 de Junho @ 21:00 - 23 de Junho @ 00:00

Obra: W. R. Bion, Experiências em Grupos (Experiences in Groups), 1961

A experiência grupal constitui um universo de expressão de conflitos intrapsíquicos, de mecanismos de defesa prevalecentes, de dinâmicas intersubjetivas e da relação de cada sujeito com a constelação objetal que povoa o seu mundo interno.

A qualidade da ligação entre os elementos é, simultaneamente, determinante e resultado da comunicação no interior do grupo, dos ideais e objetivos que o norteiam, do modo como se posiciona perante o exogrupo e, sobretudo, da inclusão criativa ou, ao contrário, do silenciamento da identidade individual.

Em Experiences in Groups (1961), W. R. Bion distingue psiquismo individual de mentalidade grupal, assinalando, contudo, que a análise de ambos proporciona uma “visão binocular” do humano.

Nesta obra, ao “grupo de trabalho” enquanto funcionamento mental partilhado, transformador de uma realidade que reconhece, Bion opõe a noção de “pressuposto de base”, que nega a aprendizagem com a experiência e a possibilidade de desenvolvimento.

Grupos regidos por pressupostos de base – sistemas proto-mentais, primitivos, assimbólicos – negam a evolução e caracterizam-se pela regressão a posições de dependência, pela passagem ao ato violenta de sentimentos paranóides e/ou de discriminação e exclusão do que é diferente, sentido como ameaçador.

Numa época em que assistimos à formação de grupos que têm no ódio e na intolerância as principais forças aglutinadoras e cujas ações destrutivas desencadeiam funcionamentos equivalentes retaliatórios com crescente expressão em sociedades democráticas, reler este texto e a partir dele refletir representa uma afirmação partilhada de liberdade. 

 

Convidados:

Raquel Varela

 Historiadora, professora em várias instituições de ensino superior, em Portugal e no estrangeiro, investigadora do Instituto de História Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa, onde coordena o Grupo de Estudos do Trabalho e dos Conflitos Sociais, e investigadora do Instituto Internacional de História Social. É coordenadora do projeto História das Relações Laborais no Mundo Lusófono (Fundação para a Ciência e Tecnologia). É doutora em História Política e Institucional (ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa). É Presidente da International Association Strikes and Social Conflicts. É vice-coordenadora da Rede de Estudos do Trabalho, do Movimento Operário e dos Movimentos Sociais em Portugal. Em 2013 venceu o prémio de internacionalização em ciências sociais Santander/FCSH e em 2014 o Prémio Personalidade do Ano/Sociedade da Revista Mais Alentejo.

É autora de múltiplos livros (alguns em co-autoria) e de inúmeros artigos publicados em revistas nacionais e internacionais com arbitragem científica com alto fator de impacto. É membro dos conselhos editoriais de várias revistas académicas nacionais e internacionais.

É membro do Board of Trustees do ITH-International Conference of Labour and Social History (Viena, Áustria) e da Asociacíon Historiadores del Presente.

 

José de Abreu Afonso

Psicanalista da Sociedade Portuguesa de Psicanálise, membro da International Psychoanalytic Association e da European Psychoanalytic Federation, e grupanalista da Sociedade Portuguesa de Grupanálise e da Group Analytic Society International.

É secretário científico da S.P.P., formador na S.P.P. e na S.P.G., de que é membro didata e coordenador da comissão editorial. É docente no ISPA-Instituto Universitário e investigador no William James Center for Research.

A sua experiência clínica engloba trabalho institucional em exercício privado.

Coordenação: João Mendes Ferreira, SPP.

Édipo em Alexandria – Alexandria, a cidade da mítica biblioteca da Antiguidade Clássica, não figura no itinerário da trágica personagem tão cara à psicanálise: o Édipo de Sófocles, reclamado por Freud como representante simbólico maior da nossa condição humana.

Desde os seus primórdios, a Psicanálise está ligada aos livros e à Cultura e o pensamento psicanalítico traduziu-se em inúmeras obras que geram um universo de possibilidades de leitura – tanto dentro como fora do campo analítico.

Com esta iniciativa do Grupo de Outreach, a SPP pretende abrir as portas da nossa biblioteca para serões de conversa em torno de uma obra psicanalítica, num ambiente informal, que se deseja profícuo em elaboração e livre expressão de opiniões e sensibilidades.

Uma breve apresentação da obra, e do seu contexto e relevância histórica, será feita por membros da SPP, com comentários e leituras de um convidado de outra área, num diálogo livre e espontâneo entre todos os participantes.

Seguir-se-á uma ceia volante, a prolongar o convívio.

A participação será feita mediante uma inscrição no valor de 7,50 €.

A inscrição só poderá ser feita até à véspera do Encontro, com Inês Marques, na  secretaria   da   SPP   ou   para   o   e-mailsppsicanalise2013@gmail.com,   com comprovativo de pagamento.

Pagamento de inscriçãoPoderá efectuar o pagamento por transferência bancária – NIB: 0010 0000 0706 7870 00152.

É desejável fazer a sua inscrição com antecedência. dado o número limitado de lugares.

Detalhes

Início:
22 de Junho @ 21:00
Fim:
23 de Junho @ 00:00
Evento Categoria:

Local

Sociedade Portuguesa de Psicanálise
Av. da República, 97 - 5º
Lisboa, 1050-190 Portugal
+ Mapa Google