Publicado em

Da Liberdade e do Medo – Revista Portuguesa de Psicanálise 37 (1)

A Revista Portuguesa de Psicanálise (RPP) dedica o número 37 (1) a um conjunto de artigos, conferências, comunicações e ensaios que foram apresentados, em Abril de 2016, no XXVII Colóquio da Sociedade Portuguesa de Psicanálise, “Da Liberdade e do Medo”. Nesse espaço de diálogo foram-se tecendo e criando pontes, de forma a encontrar ligações entre as experiências teóricas e clínicas da psicanálise com as diversas áreas da cultura presentes neste evento.

Neste número publicamos a conferência de Leopold Nosek, psicanalista da Sociedade de São Paulo que aborda, no artigo “Desaparecidos – uma história de dor”, a vivência da angústia gerada na impossibilidade de se viver o luto completo de mortos cujos corpos estão desaparecidos. É também publicado um artigo de João Sousa Monteiro, com o título “Cobardia Silenciosa”. Inspirando-se numa frase de Hamlet, “a dúvida faz de nós, todos cobardes”, elabora e investiga, através das personagens internas do mundo psíquico, a cobardia que “perante a dúvida deixa marcas profundas na vida de cada um de nós tal como na história dos homens”. Apresentamos também o artigo do Presidente da Sociedade Portuguesa de Psicanálise, Rui Aragão Oliveira, com o título “Liberdades e responsabilidades na intimidade psicanalítica”. Este artigo convida o leitor a partilhar a visão humanista da psicanálise no sentido em que, ao longo da história, valorizou a “conquista individual da autonomia, da liberdade interna que é acompanhada pela responsabilidade”. Publicamos igualmente um artigo de Manuela Fleming, onde a autora elabora reflexão psicanalítica sobre os conceitos do Medo e da Liberdade no contexto da psicopatologia, do processo psicanalítico e da cultura contemporânea. Um artigo de elaboração clínica e teórica sobre o “Funcionamento fóbico na relação do campo analítico”, produzido por Maria Fernanda Alexandre, faz também parte desta publicação. Neste número encontramos ainda um artigo de Maria Luís Borges de Castro, sobre “Liberdade: a sustentável fragilidade do afecto”, bem como um artigo de João Seabra Diniz com o título “A verdade do medo e o medo da verdade – A difícil relação entre a realidade e o fantasma”. Publicamos o artigo de Conceição Tavares de Almeida “À conversa com os Medos”, que resulta de uma reflexão sobre os sonhos na clínica. Neste número aborda-se, do mesmo modo, a psicanálise da criança através do artigo “Alerta Laranja”, que mostra o trabalho da analista face aos medos e suas consequências na transferência e na contratransferência, que é apresentado por Elsa Couchinho. Incluído neste número encontramos similarmente um artigo de Sílvia Madeira, com o título “Ser livre, poder escolher – releitura de um conto de Anderson”.

Como é habitual, concluiremos este número da Revista com algumas recensões de livros da área da psicanálise e da cultura, elaboradas por Vasco Santos e Rita Gameiro, bem como com um texto de apresentação, feito por Maria Fernanda Alexandre, de um livro de ficção de uma psicanalista com o pseudónimo de Maria José Vera.

Esperamos que a leitura deste número 37(1) da Revista possa contribuir para uma maior compreensão e expansão da mente, sobretudo sobre a liberdade e o medo.